Da intenção à construção: Matadouro Modelo de Curityba

Em 1899 constrói-se em Curitiba, na região do Guabirotuba, um matadouro que logo torna-se obsoleto por operar com padrões tradicionais e distantes de normas sanitárias.

Em 1910, a normatização Federal dos novos abatedouros estabelece as “bases de concurrencia para matadouros modelos e entrepostos frigoríficos destinados á conservação e transporte de productos nacionais estrangeiros, mediante favores e condições.”  De acordo com o Decreto 7.945 de 7 de abril, um Matadouro Modelo é representado pelo estabelecimento que utiliza processo industrial e mecanizado de abate, aproveitando todos os subprodutos do animal, com produção mais higiênica que a tradicional, incorporando o uso do frio artificial para o resfriamento e o congelamento da carne.

A inadequação do Matadouro Municipal do Guabirotuba em relação à localização geográfica, às instalações físicas e ao seu processo de abate são conhecidas desde a sua inauguração, mas somente em 1917 a Câmara municipal apresenta propostas com a intenção de construir um Matadouro para cumprir tais exigências, as quais serão atendidas 13 anos após, com a instalação do conjunto arquitetônico do Atuba. Os principais fatos desta trajetória estão aqui destacados:

1917, 24 de maio: promulgada a Lei Municipal n° 487, que autoriza a abertura de “concurrencia publica, (...), para a construcção e exploração neste Municipio, de um matadouro modelo do typo ‘Packing-Houses’ ”

Figura 1: Lei Municipal n° 487, de 24 de maio de 1917. Fonte: CURITYBA. 1917. Annaes da Camara Municipal de Curityba. Sessões de 18 de setembro de 1916 á 1° de Agosto de 1917. Curityba: Typ. d’A Republica, 1917. (p; 10-12)

Figura 1: Lei Municipal n° 487, de 24 de maio de 1917.

Fonte: ANNAES da Camara municipal de Curityba. Sessões de 18 de setembro de 1916 á 1° de Agosto de 1917. Curityba: Typ. d’A Republica, 1917. p.10-12.

1928, 30 de abril: promulgada a Lei Municipal n° 721, que autoriza o governo “a contractar com pessoa ou pessoas reconhecidamente idôneas, que maiores vantagens offereçam a construcção e exploração de um Matadouro Modelo, neste Municipio”.

figura 02-min

Figura 2: Lei Municipal n° 721, de 30 de abril de 1928.

Fonte: LEIS, Resoluções, Decretos e Actos de 1926. Curityba, Typ. d'A Republica, 1928.

1928, 16 de maio: o Diário Oficial do Estado do Paraná publica o Edital n° 6 que abre a concorrência públicapara a construcção e exploração de um Matadouro Modelo, nesta Capital”. 

figura 03-min

Figura 3: Edital n° 6/1928.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná. Edital n.6, Anno XV, n. 4603. Curityba:16 de maio de 1928.p.4-5.

1928, 10 de julho: o Diário Oficial publica o Contrato de Construção do Matadouro Modelo, firmado entre a Prefeitura de Curitiba e Adherbal Fontes Cardoso e Affonso Moreira.

figura 04-min

Figura 4: Contrato de Construção do Matadouro Modelo - parte 1.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná.  Anno XV, n. 4639.  Termo de contracto que assignan os Snrs Bacharel Adherbal Fontes e Engenheiro civil Affonso Moreira, para construção e exploração de um Matadouro Modelo-parte1. Curityba:10 de julho de 1928 p.5-8.clausulas 1.a 38

figura 05-min

Figura 5: Contrato de Construção do Matadouro Modelo - parte 1.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná.  Anno XV, n. 4639.  Termo de contracto que assignan os Snrs  Bacharel Adherbal Fontes e Engenheiro civil Affonso Moreira, para construção e exploração de um Matadouro Modelo-parte1. Curityba:10 de julho de 1928 p.5-8.clausulas 1.a 38.

figura 06-min

Figura 6: Contrato de Construção do Matadouro Modelo - parte 1.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná.  Anno XV, n. 4639.  Termo de contracto que assignan os Snrs  Bacharel Adherbal Fontes e Engenheiro civil Affonso Moreira, para construção e exploração de um Matadouro Modelo-parte1. Curityba:10 de julho de 1928 p.5-8.clausulas 1.a 38.

figura 07-min

Figura 7: Contrato de Construção do Matadouro Modelo - parte 1.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná.  Anno XV, n. 4639.  Termo de contracto que assignan os Snrs  Bacharel Adherbal Fontes e Engenheiro civil Affonso Moreira, para construção e exploração de um Matadouro Modelo-parte1. Curityba:10 de julho de 1928 p.5-8.clausulas 1.a 38.

figura 08-min

Figura 8: Contrato de Construção do Matadouro Modelo - parte 2.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná.  Anno XV, n. 4639.  Termo de contracto que assignan os Snrs  Bacharel Adherbal Fontes e Engenheiro civil Affonso Moreira, para construção e exploração de um Matadouro Modelo-parte1. Curityba:11 de julho de 1928 p.2 a 5.clausulas 39 a 70.

figura 09-min

Figura 9: Contrato de Construção do Matadouro Modelo - parte 2.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná.  Anno XV, n. 4639.  Termo de contracto que assignan os Snrs  Bacharel Adherbal Fontes e Engenheiro civil Affonso Moreira, para construção e exploração de um Matadouro Modelo-parte1. Curityba:11 de julho de 1928 p.2 a 5.clausulas 39 a 70.

figura 10-min

Figura 10: Contrato de Construção do Matadouro Modelo - parte 2.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná.  Anno XV, n. 4639.  Termo de contracto que assignan os Snrs  Bacharel Adherbal Fontes e Engenheiro civil Affonso Moreira, para construção e exploração de um Matadouro Modelo-parte1. Curityba:11 de julho de 1928 p.2 a 5.clausulas 39 a 70.

figura 11-min

Figura 11: Contrato de Construção do Matadouro Modelo - parte 2.

Fonte: DIARIO OFFICIAL do Estado do Paraná.  Anno XV, n. 4639.  Termo de contracto que assignan os Snrs  Bacharel Adherbal Fontes e Engenheiro civil Affonso Moreira, para construção e exploração de um Matadouro Modelo-parte1. Curityba:11 de julho de 1928 p.2 a 5.clausulas 39 a 70.

1928, 27 de julho: promulgada a Lei Municipal n° 740, que aprova o contrato para a construção e exploração de um matadouro modelo.

figura 12-min

Figura 12: Lei Municipal n° 740, de 27 de julho de 1928.

Fonte: LEIS, Resoluções, Decretos e Actos de 1926. Curityba, Typ. d'A Republica, 1928. p.26.

1929, 22 de agosto: comunicado sobre a alta do preço da carne. A empresa Matadouro Modelo de Curityba está em atividade, sediada na Rua José Bonifácio.

figura 13-min

Figura 13: Comunicado da Empresa Matadouro Modelo à população sobre a alta do preço da carne.

Fonte: Jornal A Republica. Curityba, 22 de agosto de 1929. p.1.

1929, 12 de novembro: matéria de jornal que defende a construção do Matadouro Modelo.

figura 14-min

Figura 14: Matéria de jornal que defende a construção do Matadouro Modelo.

Fonte: O Matadouro Modelo de Curityba. Jornal A Republica. Curityba, 12 de novembro de 1929. p.3.

1929, 13 de novembro: deputado estadual Lindolpho Pessoa discursa na Assembleia Legislativa e defende o executivo estadual em relação a diversas acusações, entre as quais a de fraude na licitação da construção do Matadouro Modelo.

figura 15

Figura 15: Defesa do deputado estadual Lindolpho Pessoa sobre a licitação da construção do Matadouro Modelo.

Fonte: O Paraná na Camara dos Deputados. Jornal A Republica. Curityba, 16 de novembro de 1929. p.3.

1929, 18 de novembro: matéria descreve a obra em andamento e as futuras instalações do Matadouro Modelo de Curityba.

figura 16

Figura 16: Matéria descreve a obra em andamento e as futuras instalações do Matadouro Modelo de Curityba.

Fonte: A obra portentosa que está sendo erigida no Bairro Alto. Jornal A Republica. Curityba, 18 de novembro de 1929. p.3.

1929, 26 de novembro: comunicado sobre os novos preços da carne do Matadouro Modelo de Curityba confirma que a empresa encontra-se em funcionamento.

figura 17-min

Figura 17: Comunicado do Matadouro Modelo de Curityba no jornal.

Fonte: Jornal A Republica. Curityba, 26 de novembro de 1929. p.12.

1930, 25 de janeiro: o jornal Gazeta do Povo apresenta um anúncio do Matadouro Modelo de Curityba.

figura 18-min

Figura 18: Anúncio do Matadouro Modelo de Curityba, em 1930.

Fonte: Jornal Gazeta do Povo. Curityba, 25 de janeiro de 1930. p 2.

1930, 31 de maio: matéria sobre as novas instalações do Matadouro Modelo de Curityba.

figura 19-min

Figura 19: O Matadouro Modelo de Curityba, uma obra gigantesca.

Fonte: Jornal A Republica. Curityba, 31 de maio de 1930. p.3.

1930, 22 de junho: Produtos Atuba. Anúncio dos produtos fabricados no Matadouro Modelo de Curityba.

figura 20-min

Figura 20: Anúncio dos produtos fabricados no Matadouro Modelo de Curityba, em 1930.

Fonte: Jornal A Republica. Curityba, 22 de junho de 1930. p.11.

1930, 30 de junho: Matéria sobre o Matadouro Modelo de Curityba

Figura 21-min

Figura 21: O Matadouro Modelo de Curityba.

Fonte: Illustração Paranaense. Curityba: anno 4, n. 6, 30 jun. 1930. p.44-45.

Figura 21 detalhe

1930: funcionam regularmente o Açougue e o Matadouro Modelo, localizados na Rua José Bonifácio.

figura 22
Figura 22: Anúncio do Açougue Modello, em 1930.
Fonte: GUIA PUBLICA, COMMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DO PARANÁ. Annuario Indicador Commercial. Industria, Commercio e Profissão. 1ª edição, anno MCMXXX. Curitiba, 1930. p.128.
figura 23
Figura 23: Anúncio do Matadouro Modelo, em 1930.
Fonte: GUIA PUBLICA, COMMERCIAL, INDUSTRIAL E PROFISSIONAL DO PARANÁ. Annuario Indicador Commercial. Industria, Commercio e Profissão. 1ª edição, anno MCMXXX. Curitiba, 1930. p.353.

1930, junho: são divulgados em jornais convites para a inauguração das instalações do Matadouro Modelo no Atuba.

figura 24

Figura 24: Convite para a inauguração do Matadouro Modelo de Curityba.

Fonte: Jornal A Republica. Curityba, 25 de junho de 1930. p.2.

figura 25

Figura 25: Convite para a inauguração do Matadouro Modelo de Curityba.

Fonte: Jornal A Republica. Curityba, 28 de junho de 1930. p.2.

1930, 29 de junho: inauguração das instalações do Matadouro Modelo no Atuba.

figura 26

Figura 26: Matéria sobre a inauguração do Matadouro Modelo de Curityba.

Fonte: Jornal A Republica. Curityba, 29 de junho de 1930. p.2.

1930, 5 de novembro: rescisão do Contrato de funcionamento do Matadouro Modelo, paralisando as atividades.

1931, 21 de maio: início dos recursos judiciais contra a decisão da Prefeitura de Curitiba.

1941, 4 de setembro: compra do Matadouro Modelo pela Prefeitura de Curitiba.

1945, 20 de janeiro: compra do Matadouro Modelo pelo Estado do Paraná.

1966, 25 de agosto: instalação da COPEL no conjunto arquitetônico do antigo Matadouro Modelo.

Compartilhar: