Metodologia

Os 124 edifícios em altura identificados na pesquisa Morar nas alturas! A verticalização em Curitiba entre 1930 e 1960 encontram-se classificados em sete categorias, tomando como referência os usos residencial, comercial e de prestação de serviços (Quadro 1).

​Os trinta e quatro anos estudados podem ser divididos em dois períodos, 1926-1943 e 1944-1960.

​O primeiro, entre 1926-1943, inaugura o processo dos edifícios em altura com a construção do Palácio Avenida e o Moreira Garcez. Neste período, registram-se 20 edificações com até dez pavimentos e características que mesclam tradição e inovação nos programas de necessidades, nos arranjos espaciais, nas técnicas construtivas e na linguagem formal.

​O segundo, entre 1944 e o final da década de 1950, marca a consolidação da verticalização na área central da cidade. Reúne 104 exemplares cuja principal característica refere-se à diversidade de usos, com múltiplos modos de morar e trabalhar nas alturas.

​No Quadro 2 encontram-se as 124 edificações levantadas e analisadas no trabalho, a data da primeira referência da obra, endereço, autoria do projeto arquitetônico e construtora responsável. O número de registro dos edifícios, localizado na segunda coluna do quadro, está sinalizado nos mapas dos três roteiros.

Quadro 1

Quadro 2