Skip to content

Verticalização de Curitiba

1944: uma nova fase da verticalização de Curitiba

O ano de 1944 anuncia uma alteração do padrão construtivo em Curitiba com o aumento do número de pavimentos e ultrapassando os dez pisos do Braz Hotel, o mais alto edifício existente. Iniciam a próxima fase da verticalização da cidade, os edifícios João Alfredo e Marumby, considerados “símbolos de nossa civilização urbana”, juntamente com uma…

Leia Mais

As virtudes de morar nas alturas no centro da cidade – 1

Paulo Roberto e Marisa Correia de Oliveira, moradores do Marumby, destacam as vantagens de morar em edifícios em altura na área central da cidade: Morar no edifício era muito melhor e mais confortável que nos antigos sobrados. O prédio novo, moderno, com distribuição melhor da água, banheiro completo, janelas em todos cômodos, face norte, corredores…

Leia Mais

As virtudes de morar nas alturas no centro da cidade – 2

Regina Freire Maia, antiga moradora do Tamoio, relata o cotidiano de morar em edifícios em altura na área central da cidade: Nós fomos para o edifício Tamoio, da família Colle, em 1958 e ficamos até 1968. O apartamento era pequeno para nossa família, mas podíamos pagar o aluguel e estava junto à Universidade.Depois de algum…

Leia Mais

Curitiba em 1969

No centro da imagem, a Rua Marechal Deodoro, no trecho entre as ruas Barão do Rio Branco (à esquerda) e Presidente Faria (à direita). A verticalização está se consolidando e, em poucos anos, tomará grande parte da área central. Ao fundo, o Passeio Público, a Casa do Estudante Universitário e o Colégio Estadual do Paraná.…

Leia Mais

Dificuldades técnicas da verticalização de Curitiba

No processo de verticalização da cidade, muitas dificuldades técnicas serão ultrapassadas, como a ausência de material, principalmente durante e logo após a Segunda Grande Guerra. Havia neste período, uma “constante falta de material, em virtude do conflito que assolava o mundo, impedindo a importação do ferro, cimento, etc. imprescindíveis para a concretização da obra”. Além…

Leia Mais

Edifício Curitiba

Ao lado do Braz Hotel, encontra-se o Edifício Guiss, depois nominado Curitiba, edificado pela Surugi & Colle. Projetado e construído como prédio de apartamentos, o Curitiba também abrigou múltiplos usos. Médicos como Luiz e Yvonne Parigot de Souza atendiam no apartamento seis, em 1942. Os pintores Teodoro de Bona e Guido Viaro, em 1944, tiveram…

Leia Mais

Edifício João Alfredo

Em 27 de agosto de 1944, o jornal Gazeta do Povo veicula o anúncio da construção e venda dos conjuntos comerciais do Edifício João Alfredo. A iniciativa da obra cabe à Construtora Gutierrez, Paula & Munhoz, líder no ramo da construção civil na cidade. O anúncio introduz alguns elementos que serão utilizados frequentemente, como a…

Leia Mais

Edifícios em altura construídos em Curitiba entre 1930 e 1943

Os edifícios em altura construídos em Curitiba entre 1930 e 1943 possuem algumas características comuns. São concebidos, majoritariamente, por um único proprietário, visando o maior número de unidades para alugar e obter renda mais significativa. Apresentam a máxima ocupação possível do lote, buscando a multiplicação do solo, em detrimento de fatores como ventilação e orientação…

Leia Mais

Marilux Hotel (atual San Martin Hotel)

Em 12 de março de 1948, o Jornal O Dia noticia a construção do “mais confortável e mais luxuoso dos hotéis curitibanos”, o Marilux. O empreendimento, cujas “linhas da fachada” são de uma simplicidade harmoniosa”, apresenta um programa sofisticado que inclui “uma magnifica boite, com dois camarins e lugares para 150 pessoas; um restaurante para…

Leia Mais
Scroll To Top